São Borja
Domingo 18 de Fevereiro de 2018


Surgimento de escorpião amarelo em Porto Alegre mobiliza técnicos para alertar a população

Porteiro encontrou o animal, de cerca de 7 cm, em edifício no Centro da capital, na última quinta-feira (11). Nesta segunda (15), Vigilância Sanitária fará um trabalho de orientação no local.

epois que um porteiro encontrou um escorpião amarelo em um prédio no Centro de Porto Alegre, a Secretaria Municipal da Saúde trabalha para conscientizar os moradores da região, para evitar a proliferação do animal. O órgão emitiu um alerta sobre os perigos e cuidados há dois meses.

Nesta segunda-feira (15), técnicos da SMS farão uma ação no local. "Toda vez que somos comunicados a respeito e visualização ou acidente, a Vigilância em Saúde tem que fazer esse trabalho, imóvel por imóvel. A orientação é o mais importante", afirma a bióloga Fabiana Reis Ninov.

O escorpião estava em frente a um prédio de seis andares na Rua Senhor dos Passos, que é parte residencial, mas também tem salas comerciais. Por isso, a circulação de pessoas é intensa no edifício.

O animal mede cerca de 7 centímetros, mas tem assustado quem mora ou trabalha nos arredores. "A gente está preocupado, porque se tem um, pode ter outros", diz a comerciante Simone do Carmo.

O porteiro conta que viu o animal quando chegava para trabalhar, na última quinta-feira (11). "Me deparei com o bicho andando na parede", lembra Marcos Silva.

Da parede, o escorpião foi buscar um esconderijo na fenda do concreto, perto da calçada. Foi nessa hora que marcos usou um pedaço de fio para capturar o animal.

"Peguei ele com dois potinhos de requeijão, taquei fogo, 'picotiei' ele com uma madeira", relata.

A espécie encontrada em Porto Alegre é uma das que mais causa acidentes graves, principalmente por crianças. Mas não é comum nessa região.

"Como ele tem uma toxina que afeta o sistema nervoso, e por decorrência pode afetar também o sistema cardiovascular, as manifestações se associam a dor muscular, tremores, e certamente provocam outras consequências, como dor de cabeça, vômitos, em alguns casos, pode evoluir para uma situação mais grave", explica o médico do Hospital de Pronto Socorro da capital, Marco Antonio Azevedo.

A orientação, em caso de picada, é procurar atendimento médico o mais rápido possível.

"A pessoa tem que procurar o hospital e a gente, nesse caso, vai tomar as medidas. Eventualmente é só observação e analgésico, mas não é uma situação que possa ser manejada em casa", sustenta o médico.

No caso de visualização do animal, a orientação é evitar o contato e informar a localização através do telefone 156, da prefeitura. O Centro de Informação Toxicológica do estado também pode ajudar por telefone, dando as primeiras orientações até o socorro chegar. O número é 0800 721 3000.

Outras espécies deixam autoridades em alerta no interior

Em Santa Rosa, na Região Noroeste do estado, as autoridades também estão em alerta. O surgimento de outras espécies preocupa.

É justamente nesta época de calor intenso que os escorpiões aparecem com mais frequência. Em 2017, o Centro de Informação Toxicológica do estado atendeu aproximadamente 500 acidentes causados pelo inseto. Destes, 400 foram classificados de baixo nível de envenenamento.

Em Santa Rosa, foram 58 ataques, e 46 deles por escorpiões do tipo preto e manchado, que são considerados menos perigosos. Porém, o temor é que possa aparecer o escorpião amarelo.

"Não temos o escorpião amarelo na nossa região e por isso o monitoramento. O cuidado é extremamente importante, porque nós precisamos monitorar semanalmente para que a gente também possa orientar a população", explica o coordenador da Secretaria de Saúde, Valdemar Fonseca.

 

Que animal é o escorpião amarelo?

O escorpião amarelo é considerado o mais venenoso da América do Sul. O animal tem hábitos noturnos e procura lugares úmidos para se abrigar.

Ele costuma habitar locais frescos e escuros, como de frestas de parede, pedaços de madeira, restos de construção, entulhos, ralos, esgotos, caixas de gordura, tanques, encanamentos, caixas com verduras, legumes e frutas, sapatos, roupas, camas, travesseiros, cortinas, e se alimenta de baratas.

"O escorpião amarelo não precisa de macho e fêmea para reprudução. A fêmea se autoreproduz. Tendo alimento, água e um local adequado, escuro, faz com que ela se reproduza", explica a bióloga da SMS.

Nas casas, podem entrar pelos ralos ou portas. O importante é monitorar a residência e manter os ambientes externos limpos. O quintal é um dos locais preferidos do inseto.

 

Fonte: G1/RS

Foto: Reprodução/RBS TV