São Borja
Sábado 26 de Maio de 2018


Mobilização pró-Lula reúne manifestantes e percorre ruas de Porto Alegre

Marcha interrompeu trânsito em avenidas da cidade

Por pouco mais de três horas, uma grande marcha tomou conta da entrada e de parte do Centro de Porto Alegre. Articulado pela Via Campesina, pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e por outros movimentos sociais, com as presenças de lideranças nacionais do PT, como a do presidente do partido, a senadora Gleisi Hoffmann, e o senador Lindberg Farias, a Marcha representou o primeiro grande ato de apoio ao ex-presidente Lula, que na quarta-feira, será julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), localizado em Porto Alegre.

Com discursos de defesa à democracia e aos direitos sociais, a caminhada transcorreu sem problemas, sendo que o maior tanstorno foi registrado no trânsito, que em função dos bloqueios, acabou resultado em quilomêtros de congestionamentos. À frente da caminhada estiveram, do início ao final, o presidente da Assembleia Legislativa, Edegar Pretto, e o coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile. Com o acompanhamento de mais de 45 integrantes da Brigada Militar, além de agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), a marcha saiu das margens da BR 116/290, no antigo posto da Receita Estadual, até o acampamento do MST junto ao Anfiteatro Pôr do Sol, localizado a poucas quadras de distância da sede do TRF4, onde ocorrerá o julgamento.

Segundo a Brigada Militar, foram mais de 1,5 mil pessoas que participaram da marcha, enquanto que o MST contabilizou o envolvimento de mais de 3 mil. Ao longo do trajeto, várias frases de ordem foram cantadas pelos integrantes, como “Eleição sem Lula é fraude”, “Fora Temer, Fora Marchezan”, entre outras.

Trânsito bloqueado

Após a concentração, com a chegada de ônibus vindo de diversas cidades, a marcha teve início quando os primeiros raios do dia cortavam o céu. Apesar de ocuparem apenas duas faixas da rodovia federal, o trânsito, por motivos de segurança, permaneceu totalmente bloqueado no sentido interior-capital. No sentido contrário, o fluxo era lento, uma vez que vários motoristas desaceleravam ao passar pelo grupo. Seguindo a caminhada, o grupo entrou na avenida da Legalidade e da Democracia, também deixando o trânsito praticamente totalmente bloqueado, ampliando ainda mais os congestionamentos, que segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ultrapassavam sete quilômetros na freeway e 10 quilômetros na BR 116.

A situação no trânsito começou a amenizar depois que os manifestantes ingressaram no centro de Porto Alegre, onde os bloqueios foram mais momentâneos. A marcha seguiu pela avenida Mauá, Borges de Medeiros, Ipiranga e, por fim, o Anfiteatro, na avenida Beira Rio (Edvaldo Pereira Paiva) onde o acampamento já estava montado. Com o bloqueio no centro, muitos ônibus deixaram os passageiros descerem antes do trajeto final, para que eles fossem caminhando até os seus destinos.

 

Fonte: Correio do Povo

 

Foto: Alina Souza