São Borja
Sábado 26 de Maio de 2018


Porto Alegre deverá receber cerca de 30 mil apoiadores de Lula

Caravanas começam a chegar neste domingo, com orientação de evitar tumultos e confrontos.

É grande a expectativa sobre a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Porto Alegre na terça-feira. Com as manifestações de apoio e a repercussão positiva que o julgamento acabou gerando para a imagem do ex-presidente, as direções nacional e estadual do partido pressionaram para que ele desse uma resposta “à altura” à militância e aos apoiadores – que devem ser cerca de 30 mil pessoas na Capital.

Lula deve participar do ato marcado para as 18h do dia 23 na Esquina Democrática, apontado como o ápice das manifestações a seu favor. A vinda incluiu a negociação com os advogados, que, para evitar tumultos e desgastes, já haviam vetado a presença dele na quarta-feira, dia do julgamento, caso a defesa não obtivesse sucesso no pedido de novo depoimento.

As lideranças petistas gaúchas pretendem que Lula chegue ao Estado pouco antes das 18h de terça e dê entrevista coletiva, garantindo visibilidade ainda maior, mas isto ainda não está definido. Imediatamente, ele se dirige para o ato na Esquina Democrática, podendo ou não seguir até o local do acampamento junto à área do Anfiteatro Pôr do Sol. A chance de que, após as manifestações no Centro, ele acompanhe todo o deslocamento até o acampamento, contudo, é pouco provável e o ex-presidente deve retornar ainda na terça a São Paulo. Os apoiadores, por sua vez, se deslocam até o acampamento onde encerram o ato por volta das 20h. Na sequência, dão início à vigília que se estenderá até o término do julgamento.

 

Cuidados com a segurança

Preocupados com as acusações recorrentes de que pretendem gerar tumulto e insegurança, não apenas os petistas, mas integrantes de outras legendas e de movimentos sociais pró-Lula decidiram adotar medidas para evitar conflitos e infiltração de agitadores. A orientação é se manifestar de forma pacífica e não aceitar provocações. “Somos os maiores interessados em que tudo ocorra dentro da ordem”, resume o vice-presidente estadual do PT, Carlos Pestana. A Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo, que coordenam atos pró-Lula, designaram cerca de 2 mil militantes para formar o grupo de segurança própria dentro das manifestações. “É um número considerável. Já ficou estabelecido, por exemplo, que não vamos admitir pessoas com o rosto coberto em nossos atos”, explicou o presidente do PT gaúcho, deputado Pepe Vargas. Na quinta Pepe encaminhou ao governador José Ivo Sartori ofício informando sobre a preocupação com “infiltrados” e solicitando que as forças de segurança sejam orientadas a atuar de forma seletiva, identificando responsáveis por atos de vandalismo e violência e realizando repressão exclusivamente sobre eles.

Os dados internos da organização das atividades dão conta de que, em caravanas de ônibus, chegarão à Capital 16 mil pessoas a partir deste domingo. De forma a contornar barreiras e confusões, os organizadores orientaram os militantes a tentarem chegar a Porto Alegre até dia 23. Estão listados cerca de 400 ônibus de todas as regiões do Estado, de Santa Catarina, do Paraná, do Rio de Janeiro e de São Paulo. Há um ônibus que partiu do Rio Grande do Norte. Como a conta não inclui quem já está em Porto Alegre e na região Metropolitana, assim como outras comitivas, lideranças políticas de outros estados e adesões espontâneas de não militantes, a organização dos atos estima que reunirá no mínimo 30 mil apoiadores de Lula em Porto Alegre no evento do fim do dia 23. Chegar a 50 mil é o sonho de 10 entre 10 lideranças petistas. Entre os nove senadores petistas, até a sexta-feira à noite apenas um não havia confirmado presença no ato de terça. Dos deputados federais do partido, 40 informaram sua participação.

Nas ruas, cinco eventos principais, entre os dias 22 e 24, concentrarão as manifestações pela absolvição. A programação na segunda começa com debate dos partidos de esquerda, o “Diálogos Internacionais sobre Democracia”, promovido durante todo o dia no auditório da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadores em Instituições Financeiras, no Centro. À noite, também na Fetrafi, ocorrerá o “Ato de Juristas e Intelectuais em Defesa da Democracia”. No dia 23 as atividades serão na Assembleia Legislativa. Pela manhã, o evento “Mulheres pela Democracia e pelo Direito de Lula ser Candidato”, com a participação da ex-presidente Dilma Rousseff. À tarde, a “Ação Global Anti-Davos”, com o senador Roberto Requião (PMDB/PR). E, no final do dia, o ato na Esquina Democrática e a marcha até o acampamento.

 

Contrários a Lula já projetam “pré-carnaval” pela condenação

Os movimentos contrários a Lula, como o MBL e o Vem Pra Rua, concentrarão seus atos no Parque Moinhos de Vento, o Parcão, onde organizam um “pré-carnaval” no dia 24, com objetivo de comemorar a condenação do ex-presidente, que acreditam estar garantida.

 

Fonte: Correio do Povo

 

Foto: Ricardo Stuckert / AFP / CP