São Borja
Sexta-feira 15 de Dezembro de 2017


Policial militar é investigado após confusão que terminou com um morto e dois feridos em Uruguaiana

Conforme a polícia, PM efetuou disparos para o alto, e também no momento em que uma pessoa era atacada com faca.

m adolescente de 17 anos morreu na madrugada desta quinta-feira (28) em Uruguaiana, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, durante uma briga na saída de uma boate. Um policial militar de folga, que disparou em meio à confusão, é investigado.

A Brigada Militar diz que investiga a conduta do agente, e afirma que ele agiu em legítima defesa. A Polícia Civil já ouviu o PM, e aguarda os resultados do exame de balística para confirmar se o tiro partiu da arma do militar.

"De acordo com o relato dele, ele atirou contra o jovem porque ele atentava contra a vida de outra pessoa", afirmou o delegado Enio Tassi.

A confusão aconteceu por volta das 5h, ainda dentro da boate, mas acabou se estendendo pela rua. Além do adolescente morto, identificado como Jean Artur do Prado, dois jovens ficaram feridos, um com golpes de faca nas costas, e outro perdeu a mão.

De acordo com a versão apresentada pela Brigada Militar, o policial estava de folga atirou para o alto para separar a briga a pedido dos seguranças do local. Como a confusão continuou, ele acabou atirando contra um jovem que estaria atacando um homem com uma faca. Eles foram levados para o Pronto Socorro, onde passam por atendimento médico.

"A princípio tem uma legítima defesa, nós ouvimos algumas testemunhas já, seguranças do local, todos contando a mesma versão, de que o policial interveio, o rapaz ignorou as ordens do policial. E esse jovem que está alvejado, e que faleceu, é importante frisar que ele já respondia por homicídio", disse o capitão Giovane Dalcol Garcia.

Já a Polícia Civil diz que o jovem respondia por falsa comunicação de crime. "Na verdade ele tentou assumir um homicídio no lugar de um adulto", afirmou o delegado Tassi, completando que, "em tese", imagens de câmeras de segurança corroboram a versão apresentada pelo policial.

 Fonte: Correio do Povo/ Foto: Google