São Borja
Terça-feira 16 de Janeiro de 2018


Número de argentinos entrando no Brasil por São Borja está aumentando

Destinos são os litorais gaúcho e catarinense. A Mercovia projeta o ingresso de 150 mil veranistas.

Nos últimos dias a Ponte da Integração São Borja-Santo Tomé já registrou movimento considerável de turistas argentinos em direção ao Litoral Sul do Brasil. O maior fluxo, porém, é esperado para este final de semana e depois do Ano Novo. A Mercovia, empresa concessionária para os serviços da ponte, projeta o ingresso de 140 mil a 150 mil veranistas, um número que poderá superar ao da temporada passada. A expectativa é de que pelo menos 100 mil turistas depois retornem por São Borja, utilizando-se dos serviços da rede de hotéis e restaurantes na cidade. A Polícia Federal ampliou o número de agentes para agilizar o serviço de migração e a Mercovia também aumentou sua equipe de recepção aos visitantes, através de parceria com a Secretaria Estadual de Turismo e o Instituto Federal Farroupilha. A Mercovia também oferece um aplicativo, ferramenta eletrônica que possibilita informações sobre rotas rodoviárias e principais pontos turísticos, além de mostrar opções na rede hoteleira.

 

Estrada

 Os veranistas que vêm da Argentina para o Brasil, ingressando por São Borja, deslocam-se para o Litoral principalmente pelo BR 285. A rodovia liga à região das Missões e depois até Santa Catarina. A via apresenta problemas em muitos trechos, principalmente até Santo Ângelo, desde desníveis e ondulações na pista, além de sinalização escassa e poucos acostamentos.

 

Cargas

Mesmo no atual período de final de ano, quando normalmente desacelera a demanda, a Ponte da Integração segue com um grande movimento de caminhões e cargas. A Receita Federal informa que o fluxo é maior que em outros anos no período, principalmente em operações de exportação pelo Brasil. No sábado (30) o serviço de desembaraço aduaneiro de cargas e caminhões será das 8h às 14h. No domingo (31) e na segunda-feira (1°) estarão suspensas as habilitações alfandegárias através da Receita. Já a circulação de veículos de passeio e de turistas ocorre as 24 horas do dia, sem interrupção.

 

Fonte: Michel Benites/Rádio Cultura

 

Foto: Mercovia / Reprodução